domingo, 3 de agosto de 2014

UMA CIDADE DE VITÓRIA E DE FÉ

Foto tirada por Francisco Monteiro em Vitória de Santo Antão PE
Quando  viajo  por Pernambuco, vejo  muitas cidades maravilhosas. Umas até que foram utilizadas como cenários de filmes. E que servem de exemplo, de como o nosso povo é vitorioso pelas graças dadas por Deus. E como são pessoas de grande fé. Uma destas cidades maravilhosas é a cidade de Vitória de Santo Antão, na zona da mata de Pernambuco. Muitas vezes eu passei, e visitei esta cidade linda. E em todas as minhas visitas, fui bem recepcionado por seus moradores. Com uma hospitalidade tipica do interior pernambucano. Fui agraciado por sorrisos e olhares de pessoas que me trataram com muita cordialidade, e educação . Fui durante o carnaval, e vi os pequenos blocos de rua. Que saem pela cidade, e se concentram na praça onde fica a igreja matriz. Percebe uma grande educação de seus moradores, sendo manifestada nas ruas. Pois são muito limpas e preservadas, como um tesouro , por cada morador de Vitória de Santo Antão. Mesmo em época de carnaval, a limpeza e educação de seus moradores e um exemplo, de cidadania .De pois que passavam os blocos os responsáveis pela limpeza se encarregavam de deixar tudo bem organizado e limpo.Outra coisa que reparei, foi o respeito aos órgãos públicos e privados. Pois mesmo sendo carnaval, não vi brigas nem bagunça durante as passagens dos blocos. Tanto que quando os trios elétricos passavam diminuíam a altura do som em frente a hospitais e escolas. Não presenciei em nenhum momento quias quer tipo de discórdia. O que mostra assim que o nível de cidadania de seus moradores e nascidos na cidade. Vitória esta localizada a 45 km do Recife. E antes de chegarmos lá passamos, por Jaboatão dos Guararapes e Moreno, já no final da região metropolitana do Recife. Com um clima agradável, tipico de zona da mata pernambucana.  Vitória de Santo Antão esta localizada num ponto privilegiado, e propicio para a visitação turística, com o aspecto religioso e histórico. Pois lá foi travada mais exatamente no monte das Tabocas, uma batalha memorável que foi umas das grandes vitorias do povo pernambucano. Que influenciou na derrota  e expulsão dos holandeses, que  dominavam o estado.Por esse motivo que a cidade se chama Vitória de Santo Antão. Devido a grande vitória dos Heroes de nossa pátria. A tão falada vitória no monte das Tabocas foi um marco das grandes batalhas da insurreição  pernambucana. Que deu forças para acontecer as batalhas nos montes Guararapes. Hoje uma região de mata atlântica localizada, em Jaboatão dos Guararapes também em Pernambuco. Esta batalha foi travada no dia 3 de agosto por este motivo nós do Ver Pernambuco + homenageamos a maravilhosa cidade de Vitória de Santo Antão. Parabéns para todos os nascidos e moradores desta maravilhosa cidade e Deus ilumine cada vez mais a vida de vocês.

terça-feira, 20 de maio de 2014

UMA CAMINHADA PELA HISTÓRIA DO RECIFE ANTIGO

Caminhamos pela história, pela cultura e tradições do maravilhoso estado de Pernambuco. Como em toda
Foto tirada por Francisco Monteiro da Ponte Maurício de Nassau.
viagem, nos dirigirmos em sentido do lugar mais obvio, para começar esta jornada. Nos encaminhamos ao Recife Antigo. Que lá esta, o ponto inicial de todos as referencias, para nos deslocarmos em todo o estado. Para chegarmos até lá, caminhamos pela ponte mais antiga, e que um dia já foi a maior das Américas a ponte Maurício de Nassau.
Foto tirada por Francisco Monteiro do Marco Zero do Recife vendo em sua pespe quitiva no fundo a avenida Rio Branco PE.

Depois de termos a atravessado, chegamos na avenida Rio Branco. Já no Bairro do Recife. Caminhamos alguns metros observando a linda arquitetura, da época colonial brasileira, e chegamos na praça Rio Branco. Onde esta Localizado o Marco Zero do Recife, o monumento do Barão do Rio Branco e a Casa do Artesanato de Pernambuco.
Foto tirada por Francisco Monteiro na praça Rio Branco em frente ao monumento do Barão do Rio Branco e Casa do Artesanato de Pernambuco.

Fizemos uma visita na Casa do Artesanato, e depois fomos ao pátio de esculturas do artista Francisco Brennand.
Foto tirada por Francisco Monteiro no Pátio de esculturas de Francisco Brenannd no Recife visto ao fundo as torre Gemias.
E observamos um pouco o oceano Atlântico, e caminhamos ao forte localizado no caminho de pedras nas proximidades com o pátio.
Foto tirada por Francisco Monteiro dos trilhos dos bondes na Praça Rio Branco tendo a Casa do Artesanato na pespe quitiva do lado direito no Recife PE.



Foto tirada por Francisco Monteiro da Casa do Artesanato de Pernambuco na praça Rio Branco no Recife Pe


Voltamos e nos dirigirmos para a Rua do Bom Jesus. E admiramos a bela arquitetura, as arvores lindas do lugar, o monumento de Antonio Maria, e os trilhos dos antigos bondes, que existiam na cidade do Recife. Vimos a sinagoga mais antiga das Américas, que esta localizada na Rua do bom Jesus.
Foto tirada por Francisco Monteiro na Rua do Bom Jesus durante a Feira Japonesa do Recife vista ao fundo a sinagoga Kahal Zur Israel no Recife PE.

Caminhamos apenas alguns metros, e chegamos ao museu do Céu Aberto do Recife. E de pois fomos para praça do Arsenal da Marinha, descansar um pouco, observando o chafariz, as arvores e sentindo o vento vindo o oceano.
Foto tirada por Francisco Monteiro do Museu  Céu Aberto no Recife PE.

Caminhamos novamente e chegamos enfrente a torre Malakoff. Um belo monumento existente neste trecho de nossa jornada.

Retornando sentido lado direito do Recife Antigo, vamos para a rua onde é conhecida como a mais boemia do Recife Antigo, a Rua da Moeda. E vimos o Monumento Chico Science e caminhamos em frente sentido Rua Madre de Deus.


 Chegando lá vimos uma belíssima, igreja que em seu nome já mostra a fé dos moradores do Recife. Esta é a igreja Madre de Deus.

Foto tirada por Francisco Monteiro do monumento de Acenso Ferreira no Recife PE.

A penas a alguns metros, chegamos ao Paço Alfândega. E vimos o rio Capibaribe, o Obelisco em homenagem aos Heróis de Pernambuco, e o monumento do poeta  Acenso Ferreira. Depois fizemos uma caminhada.....
Foto tirada por Francisco Monteiro da igreja Madre de Deus na esquerda e Paço Alfândega na direita no Recife PE.





voltando sentido lado esquerdo do Recife Antigo. E seguimos para o forte do Brum, no bairro com o mesmo nome.

Foto tirada por Francisco Monteiro no Obelisco no Recife Bairro do Recife  PE






Passamos por galpões, industrias e pela prefeitura do Recife. Chegamos ao museu militar Forte do Brum. Que é uma antiga herança histórica, dos portugueses e holandeses em Pernambuco. E uma forma materializada da demostração da bravura, do povo pernambucano.












 





Saímos do forte maravilhados, com sua bela arquitetura, e com a história contida e respirada. Caminhamos sentido nos orgulhosos, por nascermos e morramos no estado de Pernambuco .
FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO DO FORTE DO BRUM NO RECIFE PERNAMBUCO BRASIL

 Depois nos dirigirmos para a ponte do Limoeiro. Para de lá observar o lugar considerado o mais sinistro do Recife, e um dos mais macabros de Pernambuco.
Passamos pelo porto do Recife, pedindo autorização aos seguranças e chegamos no lugar que dizem ser o mais mal assombrado do Recife, a Cruz do Patrão.
FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO DA CRUZ DO PATÃO NO RECIFE PERNAMBUCO BRASIL 
Terminamos nossa jornada pelo Recife Antigo. Mas ,continuaremos uma nova jornada aguardem . Pois em breve, iremos para outras cidades da região metropolitana, zona da mata, Agreste e Sertão no interior do estado de Pernambuco. Fiquem todos na santa paz de Deus .        


Se vocês gostam de nosso trabalho, e gostariam de serem nossos colaboradores ou patrocinadores nos enviem um e mail, ficaremos muito felizes em responder lhes.

francisco.explorador.pe@gmail.com

quarta-feira, 14 de maio de 2014

FORTE DO BRUM : UM MONUMENTO DA BRAVURA DO POVO PERNAMBUCANO

Foto tirada por Francisco Monteiro do Forte do Brum no Recife PE.
Fizemos uma caminhada pelo Recife antigo visitando e conhecendo um pouco melhor cada parte da história de um passado de bravura e coragem de nosso povo. Quem admira, e conhece a história de Pernambuco, sabe o quando o povo pernambucano é amante de de sua terra natal. E de como ama a cultura e as tradições seculares, deixadas pelos nossos antepassados, vindos de muitos lugares ao redor do mundo. O nosso  estado foi escrito nos livros de gloria dos grandes  heróis brasileiros.
E que defenderam nossa terra amada com a bravura de leões unidos contra os invasores. Mostrando lhes como o povo Brasileiro tem em suas raízes a força vinda de nossa fé, e da união de 3 raças para que com um objetivo em comum, vencer os seus repressores. Podemos ver isso em nossa caminhada pelo Recife antigo.

Em cada rua se respira parte da história desde a época dos holandeses no nordeste, até os nossos dias. Pois desde o começo até o termino de nossa caminhada, vimos o passado. Dividir espaço com o progresso, a fé com a bravura , a cultura com a história, e a natureza com o meio urbano. Começamos nossa caminhada pela avenida Rio Branco, chegamos no Marco Zero do Recife, depois nos dirigirmos para a Casa do Artesanato de Pernambuco. Atravessamos o rio Capibaribe e chegamos ao patio de esculturas de Francisco Brenannd.

Voltamos pelo rio e caminhamos para a Rua do Bom Jesus e na mesma vimos a sinagoga mais antiga das
Américas a Kahal Zur Israel e depois  visitamos o museu Céu a Berto do Recife.

Do lado apenas alguns metros  caminhamos para a Torre Malakoff e descansamos na Praça do arsenal da Marinha . Voltamos um pouco e chegamos na Rua da Moeda , igreja Madre de Deus e paço Alfandega e demos uma parada para olhar o rio Capibaribe e a ponte Maurício de Nassau . Caminhamos sentido lado esquerdo do Recife antigo ( Bairro do Recife ) e passamos pela prefeitura até chegarmos ao Mais incrível monumento histórico da época dos holandeses até hoje o Forte do Brum .    

quinta-feira, 24 de abril de 2014

PAÇO ALFÂNDEGA

Foto tirada por Francisco Monteiro no Paço Alfândega no Recife PE
Foto tirada por Francisco Monteiro no Paço Alfândega no Recife PE

Depois de passarmos pela igreja Madre de Deus caminhamos poucos metros e do seu lado encontramos um espaço localizado num ponto privilegiado do Recife Antigo. Este espaço que anteriormente era um convento, e que hoje se tornou um Shopping. Com uma vista privilegiada da Rua da Moeda, do rio Capibaribe, da igreja Madre de Deus, da ponte Maurício de Nassau e do obelisco . Com sua localização de fácil acesso. Conseguimos nos locomover até ele apé. Pois seu trajeto é uma curta e agradável caminhada com uma bela paisagem urbana ao redor. Podemos observa lo até mesmo de uma longa distancia depois do rio Capibaribe.O que faz dele um ponto numa localização privilegiada e estratégica para as compras.
Foto tirada por Francisco Monteiro no Paço Alfândega no Recife PE

Este belo edifício é o Paço Alfândega. Em sua história de um convento, a um shopping muita coisa mudou em sua trajetória existencial, até hoje.
Foto tirada por Francisco Monteiro no Paço Alfândega na esquerda e na direita a igreja Madre de Deus no Recife PE
  Com o desenvolvimento do Porto do Recife,que se tornou em sua época o mais movimentado das Américas. Criou se uma grande necessidade, de se ter uma alfandega, para suprir  a falta de espaço de lugares adequados no sentido de guardar as mercadorias vindas de navios. Para isso ser realizado diante das limitações em que os padres tinham por serem em pouca quantidade. O governador de Pernambuco na época Mayrink Ferrão sugestionou uma solução ao imperador Dom Pedro I .Que as instalações do convento focem utilizadas para guardar as mercadorias. Oque logicamente desagradou os padres. Pois seu Oratório estava sendo utilizado para outros fins, que não eram religiosos .


Foto tirada por Francisco Monteiro na rua da Alfândega no Recife Antigo PE



      Se Vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar  sendo nossos colaboradores ou patrocinadores envie-
nos um e mail ficaremos muito gratos.

francisco.explorador.pe@gmail.com


PONTE MAURÍCIO DE NASSAU DOS HOLANDESES ATÉ NOSSOS DIAS

Foto tirada por Francisco Monteiro da ponte Maurício de Nassau no Recife PE.
http://verpernambuco.blogspot.com.br/2013/01/pernambuco-holandes.html

É comum uma expressão popular no Brasil que diz que quando algo é muito complicado ou impossível de realizar é mais fácil fazer um boi voar. Essa expressão tem sua origem da época dos holandeses em Pernambuco. Mais exatamente por causa de uma ponte localizada no Recife. Que em sua época era a maior das Américas. Essa ponte da acesso ao Recife antigo, e passamos por ela quando trafegamos de barco ou a pé. E tem uma arquitetura linda com suas estatuas e uma bela paisagem do rio dos mangues, dos prédios, dos pássaros e dos barcos que passam por ela. Em nossas caminhadas admiramos e respiramos uma história que vem desde a época dos holandeses em Pernambuco. E que deixaram para nos uma arquitetura que fez do Recife uma cidade com aspectos europeus. Alem de suas lendas com veracidades históricas, essa arquitetura nos lembra que já fomos no passado a grande economia do Brasil na época da colonização.E passamos por ela como numa viagem, ao passado do estado de Pernambuco. E dessa arquitetura nos foi deixado uma importante e lendária ponte a ponte Maurício de Nassau.

http://verpernambuco.blogspot.com.br/2013/06/pernambuco-holandes-chegada-do-conde.html

   Conhecida como: A capital do Frevo,A Veneza Brasileira,o Recife também tem outro título,que é a cidade Brasileira com mais lendas urbanas.Em sua grande maioria relacionadas a um contexto histórico dos lugares e personagens relatados pelos moradores mais antigos, e até pessoas jovens que dizem ter visto algo fora do padrão para nossos conceitos. Lendas como a "perna cabeluda", "a emparedada da rua Nova"," os fantasmas do museu Madalena e Gilberto Freire","a garota do mangue e cruz do patrão" são algumas das muitas lendas do Recife que é uma cidade que respira turismo até na noite com passeios pelos lugares mencionados nas lendas da bela cidade do Recife. Convidamos você a conhece uma dessas lendas acreditando ou não,mas que são um pequeno reflexo da História de Pernambuco contada a gerações pelos moradores do Recife em nossa literatura.

A LENDA DO BOI VOADOR 
Foto tirada por Francisco Monteiro da ponte Maurício de Nassau no Recife PE
A ponte Maurício de Nassau teve inicio em sua construção no ano de 1643. Com o intuito de facilitar o trafego de pessoas para o Recife antigo, que na época era conhecido como cidade Maurícia pelos moradores. Em sua construção inicial a matéria prima foi a madeira. E era em sua época a maior do Brasil e mais antiga das Américas. Mas para ela ser terminada grandes complicações aconteceram . Por causa destas complicações surgi o a lenda do boi voador. Que na verdade foi uma ideia de Nassau para resolver seus débitos devidos a construção da         
ponte.
Foto tirada por Francisco Monteiro da ponte Maurício de Nassau no Recife PE
Como Nassau teve muitos gastas com a construção da ponte e pretendia recuperar o dinheiro. Mandou espalhar a noticia de que um boi voaria por cima da ponte no turno da noite. Isso fez com que varias pessoas ficassem  curiosas como este feito seria realizado e se seria verdade os boatos que estavam sendo contados pela cidade. Durante as festividades um boi manso caminhou pelas ruas da cidade. Dando a entender que seria este o animal, que voaria na noite de inauguração da ponte. Nassau mandou esconder o animal, e colocou um boi empalhado preso e suspenso por cabos e uma roldana para ajudar no deslocamento do boi de um ponto a outro da cidade. Quando os curiosos estavam reunidos aguardando, es que o boi passou nos ares por cima das pessoas. Como se estive se realmente voando. Por causa da noite e das cordas finas que não podiam ser facilmente vistas a noite foi criada uma ilusão de que um boi realmente passou voando. Muitas pessoas ficaram admiradas com o ocorrido e outras perceberam o truque. Mas Nassau ficou no final das contas feliz pois tinha adquirido 1800  Florins ( moeda da época ) com o pedágio arrecadado dos moradores.

Se vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar sendo nossos colaboradores ou patrocinadores em enviem nos um e mail para :  francisco.explorador.pe@gmail.com

IGREJA MADRE DE DEUS : UM MONUMENTO DA HISTÓRIA E DA FÉ DOS MORADORES DO RECIFE

Foto tirada por Francisco Monteiro da igreja Madre de Deus no Recife PE
Depois de termos passado pela avenida Rio Branco, Marco Zero do Recife, casa do artesanato, Pátio de esculturas de Francisco Brennand , Rua do Bom Jesus, Museu a céu Aberto, Praça do Arsenal da Marinha,  torre Malakoff, e Rua da Moeda chegamos em uma das igrejas do século XVIII que é uma das mais belas  daqui de Pernambuco. Esta linda igreja tem em seu nome o reflexo da fé do povo Pernambucano. E nos mostra uma arquitetura da época, preservada e respeitada como um dos nossos ricos e inestimáveis patrimônios históricos, existentes do estado.  Esta linda igreja localizada no Recife Antigo é a igreja Madre de Deus.
Foto tirada por Francisco Monteiro de frente da igreja Madre de Deus 
Foto tirada por Francisco Monteiro de igreja Madre de Deus no Recife PE
A igreja Madre de Deus é um templo católico romano que esta  localizado no Recife Antigo. Mais exatamente nas proximidades com o Paço Alfândega, e localizada na rua Madre de Deus. Tem em seus arredores o rio Capibaribe , e um obelisco em Homenagem aos heróis de Pernambuco e a ponte Mauricio de Nassau .

 Sua construção teve  seu termino em 1720. E é toda em estilo colonial  possui em sua fachada pedras retiradas dos arrecifes, que foram utilizadas para a construção de esculturas de que são mostradas em sua imponente e bela fachada. Tem em suas esculturas a imagem  de São Felipe Néri. e obras entalhadas que pertenceram anteriormente a igreja do Corpo Santo que foi demolida depois das reformas de modernização do porto do Recife no ano de 1913.

Uma curiosidade é que a imagem de São Felipe Néri é em tamanho natural e no alto da igreja possui um oratório com a imagem do padroeiro da paróquia  São Pedro. Em seu interior  possui imagens que anteriormente foram pertencentes aos arcos do Bom Jesus dos Passos do Recife e possui imagens sacras que estão preservadas mesmo depois da danificação causada  por um incêndio na mesma no ano de 1971. Além das pinturas sacras possui moveis antigos em Jacarandá uma especie da arvore de madeira nobre.


A igreja passou por modificações que trouxeram em alguns aspectos melhorias para os fieis, que frequentam a mesma. Uma delas foi realizada no ano de 1931 e foi de uma das torres sineiras no caso a segunda delas ( torres onde ficam os sinos ) . Seu tombamento foi algo de grande importância para o Recife. Pois com isso uma de suas igrejas de grande valor e importância histórica estaria sobre olhos vigilantes, para que sua preservação foce continuamente garantida. O ato do tombamento foi realizado no ano de 1938 pelo IPHAN ( Instituto de Patrimônio Histórico Nacional ) que tomou providencias para recuperar o patrimônio que tinha sido danificado no incêndio.
Em suas restaurações puderam recuperar na década de 1980  parte das obras sacras como as imagens e pinturas.  
Foto tirada por Francisco Monteiro na rua Madre de Deus 
   Quando a alfandega que se encontra do lado era um convento. E parou com suas atividades, passou para as mãos de uma nova administração. No caso da Santa Casa de Misericórdia, que passou a abrigar e acolher várias irmandades e imagens sacras, de valor inestimável .  Um deses exemplos foi o caso da imagem do Senhor Bom Jesus das Portas, que estava no arco que ficava na Rua do Bom jesus, e por causa do desenvolvimento urbano da cidade o arco foi demolido no ano de 1850 e a imagem foi acolhida na igreja Madre de Deus.


Se vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar sendo nossos colaboradores ou patrocinadores em enviem nos um e mail para :  francisco.explorador.pe@gmail.com


quarta-feira, 26 de março de 2014

VER PERNAMBUCO + VISTO NO MUNDO



O blog Ver Pernambuco + chegou em vários países ao redor do globo terrestre. Quando começamos, não imaginávamos que em tão pouco tempo, o nosso trabalho seria visto em tantos países. E menos ainda que seria em tão pouco tempo.

 Quando eu comecei viajar pelo estado de Pernambuco foi sozinho. E com poucos recursos, para minhas viagens . Muitos admiram a coragem que eu tinha, em ir para lugares que eram para mim desconhecidos. E com pouco conhecimento do lugar, ou sem nenhum conhecimento.

 Tudo começou por causa de um desejo meu, de conhecer melhor o estado de Pernambuco.
E de mostrar ao mundo, como a terra que nasce é um lugar maravilho. E que não perdemos em nada, para outros lugares do Brasil.
 Que também são lindos. como o nosso estado. Mas como patriota, e amante de minha terra querida, eu me foquei no meu estado. Mas amo todo o meu pais, pois foi nele que nasce.

Comecei esta viagem pelo Recife, mostrando nossa capital. Que é justamente o lugar que nasce, e que a maioria dos integrantes do Ver Pernambuco + também nasceram. E amam tanto quanto eu. E esta é uma é uma pequena parte, de nossa história sobre como o Ver Pernambuco + se tornou um blog de pesquisa sobre o estado de Pernambuco pelo mundo.

Quando fiz minha primeira matéria, não imagina que ela já estava sendo vista fora do Brasil. Até por que estava escrita apenas em Português. E por isso não imaginava que já teriam tantas pessoas observando o nosso trabalho.

 Com uma semana 408 pessoas nas Américas e Europa já tinham visto o blog. E isso surpreendeu até os mais otimistas. Que não esperavam por um resultado tão rápido, em tão pouco tempo.

Quando falei a alguns membros do grupo semanas depois, cresceu uma euforia meio que contida e tímida. Mas manifestada, pelos olhares de surpresa misturada com alegria. Por ver o reconhecimento de nosso humilde trabalho. Dai o entusiasmo só aumentou, por ver que acada semana novas pessoas em algum lugar do planeta estava nos vendo, e acompanhando nosso trabalho.
 Antes de fazer o blog passei 3 anos viajando Pernambuco. Tanto no litoral como semi arrido pernambucano.

Fotografei do Marco Zero do Recife, até São Bento do Una, que fica a aproximadamente 210 km do Recife e fica no agreste pernambucano. Juntei um arquivo de fotos de mais de 20 mil exemplares. Tiradas por mim em cada lugar de que passei. Dai Paulino que é responsável por fazer nossa tradução, em cada semana atualizava o blog pra outros idiomas que se tornou para nos uma grande contribuição.

 Fazendo com que outras pessoas possam conhecer mais de nosso estado, em sua própria linguá. As vezes eu passava dias ou meses sem ver meus amigos. Que tinham que me ligar para saber quando eu ia chegar de viagem, ou onde estava no momento.
Amei cada lugar que fui e tenho muitos motivos pra isso. Pois a natureza, a hospitalidade das pessoas, a comida , as bebidas, o clima e as festas eram um conforto que só quem tem esse privilegio de viajar sabe como é.

Eu agradeço a Deus por ter nascido em Pernambuco. E quero muito mostrar ao mundo como o estado que nasce e belo e abençoado. Tenho ótimos amigos, que me ajudam e dão o maior apoio para continuar esse trabalho. Que em alguns momentos me deu uma grande decepção, quando eu buscava um patrício, e ninguém me dava retorno. Dai quase desiste. Mas meus amigos Edson , Hermeson, Paulino e depois Higor Cesar me incentivavam a não parar. E manter a cabeça erguida, mesmo nas adversidades do cotidiano. Fomos traídos por uma pessoa que era de nossa confiança. E isso não me fez desistir, e me fez ainda mais forte, e acreditar que Deus esta acima de tudo. E que isso foi um aprendizado para não confiarmos mais em pessoas, que suas ambições pessoas estão acima do bem estar de todos da equipe.

Com o tempo notamos que as vezes somos reconhecidos em algum lugar que passamos. E isso a principio foi uma surpresa. Pois não esperávamos, que as pessoas gostassem tanto de nosso trabalho.

O blog já foi visto em quase todos os continentes desde as Américas até a Asia, e da Europa a Oceania. Mas temos muito trabalho, a fazer ainda. E agradeço primeiro a Deus, por me dar esta oportunidade de fazer algo tão maravilhoso como este. E a meus amigos, e a todos ao redor do planeta, que acompanham o que fazemos.
Estamos infelizmente no momento sem uma séde e com poucos recursos. Que são tirados dos nossos bolsos, para este trabalho.

Desejamos muito dar continuidade a ele. Pois existem lugares maravilhosos, de Pernambuco e do nordeste, que precisamos mostrar a vocês. Se vocês puderem e quiserem nos ajudar divulguem, por favor. Para que um dia possamos ter nossa sede e patrocínio. E por favor se inscrevam como seguidores do blog, quanto maior a quantidade de pessoas melhor. já agradecendo com antecipação pela ajuda, e as empresas publicas, ou privadas que por ventura venham a ser nossos futuros patrocinadores .Fiquem na santa paz de Deus.

   Francisco Monteiro


Se vocês gostam de nosso trabalho, e gostariam de nos ajudar sendo nossos colaboradores ou patrocinadores, enviem nos um e mail para : francisco.explorador.pe@gmail.com


PAÍSES QUE NOS VISITAM


BRASIL, ESTADOS UNIDOS , RÚSSIA, ALEMANHA, MALÁSIA, FRANÇA, SUÍÇA, CHINA, JAPÃO, UCRÂNIA , CANADÁ, ARGENTINA, ESPANHA , ITÁLIA , POLÔNIA, GRÉCIA, REINO UNIDO, COREIA DO SUL, ÍNDIA, INDONÉSIA, PORTUGAL, HOLANDA, VIETNÃ, HUNGRIA , ARABIA SAUDITA , MÉXICO , ISRAEL , VENEZUELA, SUÉCIA, LUXEMBURGO, CHILE, EQUADOR, LITUÂNIA, PARAGUAI, BOLÍVIA, ROMÊNIA, LÍBANO, IRLANDA, BULGÁRIA,MARROCOS, URUGUAI, TAILÂNDIA, COLÔMBIA, TAIWAN, HONG KONG, MOLDÁVIA, QUÊNIA,CAZAQUISTÃO, BRUNEI, BÓSNIA E HERZEGOVINA, MACEDÔNIA, AUSTRÁLIA,SÉRVIA,REPÚBLICA TCHECA, 
EMIRADOS ÁRABES UNIDOS, COSTA RICA, PAQUISTÃO, ARGÉLIA, NEPAL, FILIPINAS, KUWAIT, BANGLADESH, EGITO,  
PERUTCHÉQUIA, LETÔNIA





   











 




 






terça-feira, 11 de março de 2014

ANIVERSÁRIO DE RECIFE E OLINDA

Nasce numa cidade que em seu clima do Atlântico, respiro em cada esquina uma história de cultura e
Foto tirada por Francisco Monteiro em Olinda 479 anos PE.
bravura. Fui hospedado e acolhido por sua irmã mais velha. Mas que tem o nome de Olinda em suas igrejas e ladeiras. Com a tranquilidade de um amante de duas irmãs, que brigam em meu coração por um amor que
Foto tirada por Francisco Monteiro em Recife 477 anos PE.
cresce e amo dividir com as duas. Nasce em uma e me alimentei da doce cultural do ceio da outra por isso amo dizer amo as cidades de Recife e Olinda. Francisco Monteiro de Araujo
Parabéns de todos do Ver Pernambuco + Olinda 479 anos Recife 477 anos




Se vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar sendo nossos colaboradores ou patrocinadores em enviem nos um e mail para :  francisco.explorador.pe@gmail.com

domingo, 9 de março de 2014

RUA DA MOEDA E CHICO SCIENCE

Foto tirada por Francisco Monteiro da Rua da Moeda Recife PE
Depois de passarmos pela avenida Rio Branco, Marco Zero do Recife, Casa do Artesanato do Recife, parque de esculturas de Francisco Brennand , rua do Bom Jesus , museu a céu aberto, torre Malakoff , e praça do arsenal da marinha nos dirigirmos para uma das ruas do Recife antigo que são mais movimentadas. Esta rua que é conhecida por ser uma das mais boemias e de referencia histórica e artística é a Rua da Moeda . A Rua da moeda tem em suas proximidades a igreja Madre de Deus a rua do Bom Jesus, e o Shopping Paço Alfandega e é uma das ruas que reflete a influencia holandesa na arquitetura e no pensamento artístico. Com muitos restaurantes e bares que ficam abertos a disposição de quem vinhe para ela 24 horas por dia. Lá podemos ver uma beleza arquitetônica deixada como herança histórica da presença dos holandeses em Pernambuco. E ouvirmos músicas de boa qualidade, tanto mais antigas como contemporâneas que podem ser apreciadas vendo uma bela paisagem urbana, e com o ar fresco vindo do Atlântico e acompanhando por uma bela refeição de um prato tipico de nossa região. A Rua da Moeda tem este nome pois era nela que funcionava a antiga casa da moeda já sendo da época dos holandeses. E era nesta casa da moeda que os funcionários e  soldados eram pagos pelas prestações de serviços ao governo holandês.
Foto tirada por Francisco Monteiro da Rua da Moeda Recife PE

CHICO SCIENCE E O MOVIMENTO MANGUEBEAT

O movimento teve inicio na década de 90, no Recife e foi tomada a iniciativa por bandas pernambucanas como Chico Science e Nação Zumbe e Mundo Livre  S.A .  Suas principais referencias vinham  das obras do escritos Josué de Castro. E da Paisagem urbana do Recife e do Mangue, com o ideal  de unir o local e o global , Unindo ritmos da região com ritmos de fora do pais.




Se vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar sendo nossos colaboradores ou patrocinadores em enviem nos um e mail para :  francisco.explorador.pe@gmail.com

sábado, 8 de fevereiro de 2014

O FIM DO PERNAMBUCO HOLANDÊS

Foto tirada por Francisco Monteiro na BR 232 PE
Depois da saída de Nassau do Brasil, a administração holandesa intensificou a busca de lucros .
Os dirigentes da companhia das Índias Ocidentais passaram a pressionar os senhores de engenho para aumentar a produção de açúcar, pagassem mais impostos e liquidassem as dividas atrasadas.  Ameaçaram confiscar os engenhos de seus proprietários , caso as exigências não fossem cumpridas . Além disso, limitaram a tolerância religiosa , proibindo os católicos de praticar livremente sua religião. Percebendo que corriam o risco de perderem suas propriedades ou até mesmo de serem presos , os senhores de engenhos começaram a articular uma rebelião visando expulsar os holandeses do nordeste. A resistência não tinha armas  nem a organização dos holandeses . A maioria dos Brasileiros contavam apenas com paus , espadas , facões , arcos e flechas , enquanto os invasores tinham grande quantidade de armas de fogo:pistolas , arcabuz , mosquetes, canhões. Os patriotas , contudo , tinham o apoio de Antônio Teles da Silva, governador geral do Brasil, secretamente ajudava os heróis do da resistência : André Vidal de Negreiros , o índio poti (Antônio Filipe Camarão)e Henrique Dias.  Os conflitos , chamados de insurreição pernambucana , ou guerra Brasílica , começaram em 1645 e se estenderam por nove anos. Além dos luso brasileiros, participaram , dos confrontos grupos indígenas , que foram comandados por Antônio Filipe Camarão que era catequizado , e soldados negros , liderados por Henrique Dias. Os conflitos , chamados de insurreição pernambucana começaram em 1645 e se estenderam por nove anos. Além dos luso brasileiros , participaram dos confrontos grupos de indígenas , que foram comandados por Antônio Filipe Camarão que era era catequizado , e soldados negros , liderados por Henrique Dias. Assim , apesar dos espiões , apesar das toscas armas, apesar do acordo de paz e tréguas entre Portugal e Holanda , os pernambucanos derrotaram fragorosamente os holandeses,  no monte das Tabocas ( hoje uma grande área verde em Vitória de Santo Antão PE ) , em 1645 . A luta estendeu se a outras capitanias dominadas pelos estrangeiros . Estes também desrespeitaram o tratado , e em 1647 invadiram a Bahia . Só então Portugal enviou tropas ao Brasil.

BATALHA DAS HEROÍNAS
Em 1646 , ano do acontecimento , o distrito possuía apenas uma rua larga , quase uma praça , ladeira da com casas simples , destacando se ao final dela a igreja de São Lourenço de Tejucupapo, de arquitetura jesuíta, como acontecia com  as igrejas erguidas no inicio da colonização. Mesmo não se  conhecendo com exatidão a data real de sua construção, os indícios existentes remontam do século 16 , sabendo se , com segurança , que em 1630 já existia. Naquele ano os holandeses já aviam praticamente perdido o domínio que durante algum tempo mantiveram sobre quase todo o território pernambucano , e como se encontravam cercados e necessitando de viveres, cerca de aproximadamente 600 holandeses, saídos por mar do Forte Orange, na ilha de Itamaracá , sob o comando do almirante Lichthant, tentaram ocupar Tejucupapo , onde esperavam encontrar farinha de mandioca e o caju ( Fruta típica da região nordeste do Brasil ) que devido as adversidades e circunstâncias momentâneas haviam transformado em produtos extremamente importantes que valia a pena ariscar se para ter como viveres. Segundo os relatos históricos mais aceitos, eles tomaram por esta escolha justamente o domingo pelo fato de nesse dia como costumeiro dos homens do lugar ir no domingo ao Recife montados a cavalo vender o peixe e outros pescados nas feiras. Sendo desta forma suponham do está a comunidade menos protegida era o que pensava os holandeses. Mas foram decepcionados em sua busca por alimentos. Segundo os relatos históricos, a informação que os holandeses se aproximavam iniciou uma reunião com fins de reação por parte dos moradores do vilarejo. Os valentes e bravos moradores que tinham em sua frente de liderança Maria Camarão, Maria Clara, Joaquina e Maria Quitéria lutaram com extrema bravura contra os invasores holandeses, mesmo tendo poucos homens no momento do embate. Os homens que estavam no lugar preocupavam se em emboscar os holandeses, atacando os dando tiros e os desgastando fisicamente e mentalmente lhes tirando o sossego para lhes deixarem vulneráveis dos ataques que se seguiriam.  Segundo as evidencias  históricas informam que as mulheres ferveram água em panelas de barro, lhes acrescentando pimenta, e ficando escondidas em trincheiras que tinham cavado , atacavam os invasores com a mistura fervente que em nenhum momento se esperava por eles. Os seus principais objetivos eram os olhos pois o intuito era derrota los da maneira mais efetiva possível pois poucos possuíam armar de fogo. Como a emboscada era a maneira mais efetiva usada conseguiram bravamente conquistar seu objetivo de derrotar os invasores holandeses. No fim de dia se teve um saldo de mais de trezentos mortos. Os corpos ficaram espalhados pelo pequeno vilarejo de Tejucupapo mas a maior baixa foram dos holandeses. A batalha durou aproximadamente 4 horas mas as mulheres e homens de Tejucupapo saíram vitoriosos desta que se tornou uma das mais incríveis participação ou a mais importante participação da mulheres pernambucanas.  A pesquisa arqueológica permitiu a recuperação do perímetro o fosso e a identificação da localização da paliçada que o cercava . No local do confronto há um obelisco ( vestígio de um baluarte e de trecho do fosso que circundava a fortificação ) implantado Instituto Arqueológico , no qual foram assentados 3 placas com os seguintes dizeres: Aqui, em1646 ; as mulheres de Tejucupapo conquistaram o tratamento de heroínas por terem com as armas, ao lado dos maridos filos e irmãos , repelido 600 holandeses que recuaram derrotados. Memória do Instituto Arqueológico em 1931.                                                           

BATALHA NO MONTE DAS TABOCAS  




Foto tirada por Francisco Monteiro de Araujo em Vitória de Santo Antão PE

A batalha no monte das Tabocas, fruto da guerra da restauração do território pertencente ao império português , foi travada entre os holandeses ( também chamados de neerlardeses ) e os luso brasileiros e portugueses. A batalha ocorreu em 3 de agosto de 1645 , sendo vencedores as forças brasileiras , essa batalha viria a ser lembrada e marcar na história o início da definitiva retirada dos holandeses do nordeste do Brasil. O monte das Tabocas é uma área verde de mata atlântica de aproximadamente 11 hectares, localizados no município de Vitória de Santo Antão PE, que em 3 de agosto foi palco desta grandiosa batalha. Os primeiros lideres foram Antônio Dias Cardoso e João Fernandes Vieira, se utilizando de técnicas de trincheiras nas partes altas do monte e protegidos pelos Tabocais derrotaram os Flamengos
Foto tirada por Francisco Monteiro de Araujo em Vitória de Santo Antão PE
(neerlandeses ou holandeses).  Cumprindo a promessa feita por Fernandes Vieira, foi inaugurada no lugar da celebre batalha no monte das Tabocas uma capela pelo tri centenário da cidade em 3 de agosto de 1945. A capela é a de Nossa Senhora de Nazaré, construída com pedras do local.

BATALHA DE CASA FORTE
O combate de 17 de agosto de 1645, que ficou conhecido como a batalha de Casa Forte , em alusão ao local onde foi travado, foi uma das mais notáveis vitórias pernambucanas na guerra contra o domínio holandês.  A pós a derrota imposta ao exército holandês pelos pernambucanos no monte das Tabocas no dia 3 de agosto de 1645, em Vitória de Santo Antão , Pernambuco, a tropa batia , na sua marcha de volta ao Recife , compactou no engenho Casa Forte pertencente a Ana Paes. No dia 16 de agosto de , o chefe dos holandeses , coronel Henrique Hous ( Van Heus ), enviou o major Carlos Blaer com um destacamento para fazer uma revista nas casas do povoado da Várzea onde residiam as família de chefes revolucionários  pernambucanos e prender suas mulheres.A missão voltou no mesmo dia , com várias prisioneiras , entre as quais Isabel de Góis , mulher de Antônio Bezerra,Ana Bezerra , sogra de João Fernandes Vieira e Mari Luísa de Oliveira, mulher de Amaro Lopes, que foram encarceradas na Casa Grande do engenho.
Foto tirada por Francisco Monteiro em Tejipió Recife PE

Comunicado o fato ao exército pernambucano que se encontrava nas proximidades de  Tejipió, os chefes Henrique Dias, João Fernandes Vieira  e Filipe Camarão, arregimentaram seus  homens e partiram para socorrer as mulheres pernambucanas.   Marchando sob pesada chuva e enfrentando as más condições dos caminhos , conseguiram atravessar o rio Capibaribe , na Altura do bairro do Cordeiro , até alcançar e cercar o engenho de Ana Paes , na manhã do dia 17 de agosto.  Pegos de surpresa pela fúria dos pernambucanos , os holandeses se refugiaram na Casa Grande e colocaram as mulheres nas janelas que foram escancaradas .  O chefe da tropa pernambucana , interpretando o ato como sinal de capitulação, ordenou um cessar fogo e enviou um oficial para negociar a rendição com os holandeses . O emissário foi morto covardemente na frente da tropa, o que indignou a todos . Esquecendo que entre os holandeses se encontravam as mulheres dos chefes militares , os pernambucanos enfurecidos e revoltados atacaram ateando fogo na casa . Cercados , sufocados e com baixa visualização por causa da fumaça o , coronel holandês Henrique Hous , levantou bandeira branca no cabo de uma pistola , em sinal de rendição junto com sua tropa. Mas a derrota lhes custou um preço alto pois 37 mortos, muitos feridos 300 prisioneiros, muitas armas, cavalos e comida  Muitos da elite militar foram presos neste dia. Isso deixou os holandeses tal aterrorizados que mandaram arrasar com as residencias do Recife , com as árvores do parque de Nassau e e determinaram a retirada imediata das suas forças militares dos fortes de Sergipe ,São Francisco e Porto Calvo e sua transferência para garantir sua segurança no Recife e proximidades As baixas pernambucanas foram poucas e as mulheres libertadas e os feridos levados ao engenho Apipucos e São João na Várzea . Os prisioneiros holandeses foram levadas para a Bahia .Já o coronel Henrique Hous partiu da Bahia para  Portugal  No 6 de fevereiro de 1645, chegando a ilha Terceira onde ficou encarcerado no castelo de São João até sua ida para Lisboa onde se recusou a prestar serviços militares a Portugal , e foi mandando para a Holanda voltou ao Brasil  e foi morto em Pernambuco na batalha dos montes Guararapes em abril de  1648.      


Se vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar sendo nossos colaboradores ou patrocinadores em enviem nos um e mail para :  francisco.explorador.pe@gmail.com