segunda-feira, 22 de agosto de 2016

CULTURA DE PERNAMBUCO NO ENCERAMENTO DAS OLIMPÍADAS DE 2016

TURMA DO VER PERNAMBUCO +

Nós do Ver Pernambuco + estamos muito felizes, de ver Pernambuco mais uma vez sendo mostrado para o mundo. No domingo dia 21 Agosto de 2016, o mundo viu a cultura de Pernambuco e do nordeste do Brasil sendo representada no enceramento das Olimpíadas. Muitos Leitores e seguidores de nosso humilde blog quando ligaram suas TVs viram a cultura nordestina sendo mostrada em seus países.

FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO DA LITERATURA DE CORDEL EM RECIFE PERNAMBUCO BRASIL 

Com músicas tipicamente da cultura do nordeste do Brasil sendo tocadas, e artistas representando o Frevo de nossa capital Recife, os bonecos de barro de Mestre Vitalino de Caruaru do nosso amado Agreste e as Rendeiras com suas artes no tecido do nosso belíssimo Sertão. Pernambuco e o nordeste mais uma vez mostram  para o mundo o nosso grande potencial, e representatividade das raízes culturais do Brasil.  Isso mostra o quanto o povo nordestino contribui o, e contribui para que o Brasil seja mais forte e unido em prol do bem de toda a nossa nação.
FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO NO MUSEU LUIZ GONZAGA NA CAPITAL RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO BRASIL 

Na época colonial o nordeste movia a economia do Brasil . E posteriormente no século 20 muitos, imigrantes nordestinos foram para os estados do sul e sudeste do Brasil. Com o avanço e desenvolvimento de outros estados os nordestinos foram chamados para trabalhar na mão de obra de grandes industrias, construção civil e demais.
FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO DE UM CANAVIAL NO ESTADO DE  PERNAMBUCO BRASIL 

O nordeste do Brasil historicamente é um grande celeiro nas nas forçar armadas, artes , culinária, literatura, dança, humor, ciências, música e cinema. E é  uma terra que pode se chamar e dizer o berço cultural do Brasil. E é dando uma grande contribuição ao Brasil com todo o potencial do povo nordestino, que mostramos o nosso extremo valor e patriotismo. Muitos dos que residem e nasceram em outros estados, tem suas ligações e laços familiares com os antepassados vindos do nordeste do Brasil.
FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO NA DIVISA DE JABOATÃO DOS GUARARAPES COM A CIDADE DE MORENO EM PERNAMBUCO BRASIL 

Muitos no passado migraram em condições precárias. Vindos em veículos popularmente chamados Paus de Arara. Enfrentando viagens longas, desconfortáveis por dias nas estadas de barro em busca de melhores condições de vida e empregos. E  poucos realizaram o sonho de retornar para suas terras natais. As sagas dos imigrantes que conquistaram suas vitórias, em outros estados, por mérito e bravura são muitas. Muitos jovens hoje escutam histórias contados por exemplo por : pais, avos , tios e demais. A maioria de nossos amigos de outros estados do Brasil nos falam que seus parentes migaram do nordeste. E sempre ouvirem falar da terra amada por eles, e desejam vir para o nordeste conhecer e posteriormente morar aqui.
FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO NA CASA DO MESTRE VITALINO EM CARUARU PERNAMBUCO BRASIL 

Nós do Ver Pernambuco + fazemos essa humilde homenagem a todos os nordestinos nascidos e de coração. E muito obrigado meu Deus por nos dar a honra de nos fazer nascer no nordeste do Brasil. Salve Pernambuco!!!!, Salve o Nordeste!!! salve o Brasil !!!!!!


Se vocês gostam de nosso trabalho e gostariam de nos ajudar, sendo nossos colaboradores ou patrocinadores, em enviem nos um e mail para : francisco.explorador.pe@gmail.com 

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A CRIAÇÃO DE GADO NO NORDESTE DO BRASIL

FOTO TIRADA POR FRANCISCO MONTEIRO DE UM BEZERRO, NO PARQUE DE EXPOSIÇÕES NO BAIRRO DO CORDEIRO, NA CAPITAL RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO BRASIL 




No nordeste do Brasil a criação de gado, é uma tradição secular passada de pai pra filho. Toda essa tradição começou aqui com a introdução, e com as bases fixas da economia açucareira na colonia portuguesa do Brasil. Não foi apenas a economia que se desenvolveu com os canaviais, e a criação de gado. Mas ,uma cultura regional. Que se expandiu, e trouxe maior produtividade e novos meios de subsistências. Novas tradições e costumes foram passados, e muitos oficios baseados na cultura do couro e da criação. As  tradições que foram passando e resistindo com o decorrer dos séculos e se inovando. Tanto que cidades foram criadas por causas das feiras que comercializavam os animais, e os produtos feitos com derivados de origem animal como por exemplo : leite,queijo, chapéus, bolças, botas, etc. 

O povo nordestino é conhecido por sua bravura, honra e disciplina no trabalho.  E isso se reflete no trabalho no campo, com a criação de animais e no cuidado com o as demais atividades campestres. Mas tudo isso não começou do nado. Teve um processo histórico do qual levou a conjuntura atual nos meios de criação, e no desenvolvimento de tradições que são umas das principais marcas características de nosso povo no semi árido.

Com o mercado açucareiro em grande desenvolvimento.  A mão de obra não era o suficiente para movimentar as atividades no processo de produção de açúcar e algodão. E também precisando preparar a terra para o plantio dos canaviais.  As alternativas vigentes nos engenhos não supriam as dificuldades e necessidades. Então a melhor alternativa pensada era trazer o gado para o nordeste do Brasil, para ajudar na mão de obra dos escravos.
Nos primeiros anos de desenvolvimento e criação das vilas, toda uma cultura se centralizava no litoral, perto dos canaviais. E com o decorrer do tempo novas vilas foram criadas, e se expandiram para a zona da mata dos estados nordestinos. Então em 1530 os primeiros gados foram trazidos para os estados da Bahia e Pernambuco. Que eram as grandes  potencias econômicas na industria açucareira.

Os bois foram utilizados, por sua grande força física, nos engenhos de cana de açúcar, para tração. As moendas, que eram maquinas rusticas. Feitas com madeira, com eixos giratórios. Eram movimentadas, pelos bois, que eram conduzidos e inspecionados muitas vezes pelos escravos. Com os bois girando a moenda, causava uma forte pressão. Do qual se era extraído, o caldo da cana. O liquido que era o ponto inicial para o fabrico de açúcar, ou rapadura( doce tipico do nordeste do Brasil feito de cana de açúcar ) era recolhido e armazenado, para depois ser utilizado os meios e recursos necessários para a fabricação dos produtos.

O gado não trabalhava apenas na moenda. Mas, também em veículos chamados de carros de boi. Era um tipo de carro de tração animal , movimentada por bois que caminhavam em pares. Estes carros de boi não serviam só mente para levar pessoas. Mas, também para levar canas, madeira, leite e os derivados produzidos nos engenhos. Com o decorrer do tempo os derivados de origem bovina começaram a ser consumidos como, leite, carne, queijo, couro e etc. Isso fez com que novos mercados e potenciais consumidores fossem criados no nordeste do Brasil. Assim a prosperidade e grande potencial de mercado não se baseava unicamente da cana de açúcar. Mas, de toda uma cultura criada com um aspecto regional, e tradicionalmente rural implantada na zona da mata e litoral nordestino.

Com todo esse potencial de produção e cultura sendo desenvolvida, outros estados do nordeste começaram a levar para seus engenhos bois. Desta maneira os potenciais de mercado nordestino se intensificaram. Assim, a expansão açucareira se diversificou pelo litoral do nordeste. Criando um cenário tipico das colônias sul americanas no Brasil.